2019-05-21

A Queda das Urbes


ABSINTO IV

A GRANDE CIDADE cujo nome era o de um santo, valente e justo, o qual por um tempo perseguira os eleitos, estava em ruínas.
2 Um fogo havia passado por ela; postes fumegavam, e as casas, e os edifícios;
3 Havia devastação ao norte e também ao sul; do nascente se estendiam os destroços, e até ao poente havia monturo.
4 E inúmeros corpos jaziam no asfalto, e dentro dos carros de metal retorcido;
5 Alguns cujo parecer de sua destruição causaria depressão e asco naqueles que os vissem; dos quais, a alguns destes, chamas ainda os consumiam e neles perduravam.
6 Seu aspecto era como o de corpos dos inimigos do tráfico; o odor de carnes de porco assado em brasas
campeava pelas ruas.
7 E alguns dos que restaram vivos em meio a escombros andavam sem rumo; aturdidos cambaleavam pelas ruas.
8 Os cães, furiosos como jaguatiricas, perambulavam pelas vias, alamedas, pelas calçadas;
9 mordiam a qualquer que se movesse, e assim quando ao menor barulho, e mesmo entre si.
10 O sol ainda não voltara; entretanto, uma luz morna do alto iluminava parcamente.
11 Não havia energia elétrica na cidade depois do cataclisma, do grande, na qual o fogo do céu lambera o cobre juntamente com o plástico e com os artefatos de suporte;
12 e, dos metais, uma parte se derretera, e outra parte se deteriorara.

2019-05-11

Os jardins suspensos


ABSINTO III

POR AQUELES DIAS Justine saía para os campos; sim, nos dias após o cataclisma, nos quais havia o pão que do céu descia.
2 Estava ela acompanhada de um de seus irmãos, o valente Fab, e de sua gêmea Caroline, e trazia consigo em seu colo a Beatorič.
3 E alongaram-se ela e sua gêmea Caroline para a campina, para os jardins suspensos de YAOHU que seu pai erguera em homenagem à mãe, junto à montanha dos rochedos.
4 Seu irmão, porém, permanecera na colina e contemplava a ambas enquanto se afastavam.
5 E vieram, caminho de uns três quilômetros pela campina, por entre os vales eivados de pedaços do domo à margem.
6 Vinham ela e a criança em seu colo, trazendo um cesto de vime, e Caroline trazia um par de cestos de vime;
7 e estes cestos, e mais alguns outros, eram os que Laura havia confeccionado.
8 E a criança estava assim: envolta em panos e agasalhos, num tipo de bolsa de pano com tiras de couro firmemente atadas ao corpo de Justine, como a bolsa das mamães canguru.
9 E cada uma delas pôs-se a recoher os flocos brancos que encontravam, e uma ou outra fruta, caída ou ainda no pé.
10 E Caroline fora pelo caminho plano; porém, Justine seguia pelo caminho dos jardins, e subiu ela pelos degraus dos jardins.
11 Ao subir para a plataforma ornada de orquídeas, petúnias e dentes-de-leão, avistou diante de si o vasto campo de lírios-aranha, os quais resplandeciam em beleza perante o sombrio luzir do céu.
12 E ao longe se via, através das fendas do céu, outros céus de mundos vizinhos [ou paralelos].
13 E extasiada em sua visão das maravilhas diante dos olhos, de YAOHU veio esta inspiração à menina, que assim pronunciou:
14 Grandes são as tuas obras, ó YAOHU, o Todo Poderoso; justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei das nações.
15 Quem não te temerá? E quem não haverá de bendizer ao teu nome? Pois só o teu nome é santo, e todas as nações virão a ti e se prostrarão, pois teus atos de justiça se fizeram manifestos;
16 Pois abateste as cidades pecadoras, e transtornaste a rotina das cidades de transgressão.
17 As metrópoles ficaram destruídas, e destroços de prédios certamente se encontram por toda parte.
18 E desfizeste as obras de Vicel, e dos controladores de Darwin;
19 E puseste abaixo os insetos voadores de Vicel, os quais tinham canhões e com os quais atiravam;
20 E desfizeste a tecnologia e a magia da omnipresença dos cabeças de Vicel, e da polícia das cidades da China;
21 por meio das quais ao povo oprimiam, e os quais mantiveram o povo sob jugo severo;
22 pois até as traições eram incentivadas: pois cada qual dedurava aos governos o seu vizinho, e o seu parente, e o amigo, e o irmão, e isto em troca de generosas migalhas.
23 Que é o dinheiro, pois, se não migalhas? E o que serão as moedas de ouro e prata?
24 Pois por muitas que sejam, nunca satisfarão àqueles que as amam; e pela cobiça farão grandes e escandalosas cousas.
25 Por elas matar-se-ão uns aos outros, e por elas se odiarão com desprezo, ainda que seja isto entre os duma mesma casa.
26 Assim respondeu Justine a um urge que lhe surgiu, e a um fogo que apareceu dentro de si, quando viu os céus malhados, ainda que pelo reflexo dos olhos da criança em seu seio.