2019-04-10

O grande edifício da humanidade


ABSINTO I

EIS UM PRÉDIO muito grande, muito amplo e com muitos andares, vários ambientes e salões, construído há mais de cinco mil anos.
2 Algumas partes, como a fachada frontal, saguão de entrada e alguns ambientes aparentam serem novos, embora grande parte da estrutura esteja seriamente comprometida.
3 Grande parte do prédio há muito não é pintada, nem conhece tinta.
4 Em muitos quartos há umidade e infiltração, e até alguns fios expostos.
5 Pelo que parece, um tremendo desleixo e irresponsabilidade da parte do síndico em não providenciar os devidos reparos elétricos. Não chamam nem mera consultoria da área.
6 Nas partes de padrão mais baixo, partes do reboco caem do teto e paredes devido a vazamentos e goteira, entretanto, ninguém parece dar a mínima; já se acostumaram com a miséria moral.
7 Lembrai a estrutura deste grande prédio velho, a qual já por demais comprometida.
8 Haverá chance para salvar esse prédio? E o que será necessário para fazê-lo?
9 O que você faria? Tentaria refazer o reboco? Tentaria reforçar a estrutura?
10 Pintá-lo-ia novamente? Pintá-lo-ia de uma cor diferente?
11 Arrancaria, simplesmente, pisos e azulejos, para aplicar novo revestimento? Refaria os contrapisos?
12 Impermeabilizaria os tetos? Quebraria paredes e trocaria o encanamento?
13 Tiraria da parede a fiação defeituosa? Removeria as velhas tomadas e as trocaria por novas?
14 Refaria os quadros de distribuição, isto é, a chave geral de cada apartamento, e instalaria equipamentos de proteção?
15 Colocaria lâmpadas mais duráveis e econômicas? Trocaria o gás encanado por chuveiros elétricos?
16 Retiraria os vasos com terra morta, com o resto de plantas secas, mortas há muito? Colocaria novas plantas em novos vasos no mesmo velho lugar?
17 Mesmo que a estrutura seja reforçada, nada há melhor do que algo novo do princípio ao fim, isto é, da fundação ao teto.
18 E, em breve, este prédio, carregado de desleixo e desatenção, colapsará.
19 Num momento, num abrir e fechar de olhos, sem chance de escapatória para quem nele se enconrrar ao tempo do terrível instante.
20 E os escombros que, porventura, restarem, servirão de abrigo por um breve tempo, para os poucos restantes.
21 Até que venha o tempo em que será demolido; com bombas será implodido, e com cataclismo em pó se desfará.
22 Terremotos acometer-lhe-ão os alicerces; tão fortes serão os quebradores, aos quais não poderão suportar.
23 Grandes ondas e vagas se assenhorearão de suas vigas, e suas estruturas pela massa das águas serão levadas.
24 E não se achará mais o seu lugar, senão um canto mais limpo, propício à agricultura e ao pastoreio.
25 E ali em paz habitará o teu povo: sim, meu Senhor, o Criador dos céus e da terra, entre os que escaparem das garras da besta e do sumo ditador das ordens ocultas; sim, daqueles que houverem sido preservados do dano das guerras e cataclismos.
26 Justine e Caroline, atentai a isto, e tu, ó Vento, toma nota para as gerações do porvir.
27 Em memória de Linus Pauling e de David Wilkerson, bem como de todos os que temem a Javé, os que se prostram diante do Eterno. Paz vos seja multiplicada.


No comments:

Post a Comment